5 de fev de 2009

Senti vergonha de Jacques Wainberg

Ontem (04/02), ao assistir um debate pela UNITV sobre o conflito entre o Estado de Israel e os palestinos, senti vergonha de ter sido aluno do professor e pesquisador Jacques A. Wainberg da Faculdade dos Meios de de Comunicação Social da PUC-RS. Jaques é doutor em ciências, mestre em jornalismo e outros renomados títulos, no entato, jogou toda o seu currículo no lixo ao abraçar a causa sionista, defendendo o massacre ao povo palestino. Jacques vai mais longe, afirmou que é impossível ao Estado de Israel não responder os foguetes do Hamas e seus homens-bomba. No debate também estava o professor de História Mario Maestri que ironizou a posição de Wainberg afirmando que aquelas terras onde Israel construiu irregularmente cidades são do povo palestino e que os métodos utilizados pelo governo sionista sãos mesmos utilizados pelos nazistas contra os judeus. O debate foi mediado pelo professor e jornalista Juremir Machado da silva e a participação de mais dois outros professores. Vivendo e aprendendo.

7 comentários:

  1. só mesmo um ignorante escreveria algo como isso!

    ResponderExcluir
  2. Só mesmo um ignorante para taxar a opinião de alguém como ignorância.
    Que venham os próximos ignorantes :)

    ResponderExcluir
  3. Os comentarios acima se mostraram muito superficias. Todo mundo tem o direito de criticar o que não se ocncorda .
    Ninguem é obrigado a respeitar a opinião dos outros, apenas sempre dar espaço para que eles exprtessem sua opinião , desta forma é fundamental a contestação do que não se ocncorda, assim vencendo o que apresenda argumentos mais coerentes.
    Acho que uma defesa ferina na questão a favor dos israelenses, seja ignorante tambem. não aguento mais o lobby judeu em relação ao holocausto, mas pouco se discute sobre os métodos terrosristas utilizados por israel já desde o inicio de seu assentamento na palestina, ou sua invasão até mesmo dos territórios repartidos pela ONU entre palestinos e israelenses inicialmente, quep osteriormente forma invadidos por israel que ocupa estes territórios até hoje.
    Acho importante salientar tambmbém a diaspora sofrida por milhões de palestinos na Jordania, que são impedidos de voltar para a palestina pelos israelenses, fato ironico para os judeus sempre lastimaram até então sua a perda de seus terriórios pelos romanos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho curiosa essa parcialidade furiosa a favor dos palestinos. Afinal, quem não aceitou a partilha da ONU em 1947 e iniciou uma guerra foram eles, apoiados por diversos países árabes.
      Acho também curioso que as pessoas vêem o terrorismo árabe e palestino todos os dias na TV e nos jornais, mas falam de um suposto "terrorismo israelense" que nunca existiu.
      O que esperam? Que os israelenses se deixem matar, inertes?
      Para o antissemita enrustido, que se esconde atrás de um veu enganador de "antissionismo", seria um prazer testemunhar os israelenses se entregarem, passivamente, ao terrorismo palestino. Pois vai esperar sentado.

      Excluir
  4. Quem de bom senso não sentiria?

    Bom, para alguém que cita Gisèle Littman em seus trabalhos, não era de se esperar outra coisa.

    ResponderExcluir
  5. É óbvio que você está mentindo. Envergonhe-te de ti mesmo.

    ResponderExcluir
  6. Simples: apenas pesquise e veja a origem da família Wainberg.

    ResponderExcluir