18 de abr de 2009

MP-RS seguirá rigorosamente proposta de Thums


Quem pensa que a ata 1.116 1 2 3 do MP, que criminaliza o MST e que propõe estratégias para pôr fim ao movimento está fora da pauta do "novo" MP do RS, estratégia essa articulada pelo promotor Gilberto Thums, em 2008, está muito enganado e pode botar as barbas de molho. Em reunião com a Procuradora–Geral de Justiça , "escolhida", mesmo estando em segundo lugar na eleição do MP e "eleita" ahahaha pela governadora Yeda, Dra. Simone Mariano da Rocha afirmou aos deputados estaduais Raul Pont, Stela Farias, a deputada Federal Maria do Rosário, MST e a Comissão de Direitos Humanos, presidida pelo deputado Marcon (PT) que mesmo com o pedido formal das Comissões de Direitos Humanos e de Educação da Assembleia e da Câmara Federal, a medida dificilmente será revogada. Ou seja, as crianças ficarão sem aulas efetivas e os prefeitos se negarão, em grande parte, a fazer o transporte de ida e de volta dessas crianças para colégios municipais, por alegar total falta de recursos, como é o caso do prefeito de São Gabriel, Rossano Goncalves . Com isso, abre-se a porteira para que mais uma vez os agricultores sejam indiciados, agora por não levar seus filhos nas escolas. Na prática, a estratégia de Thums está segura e segue-se à risca o que trata a ATA 1116 do Conselho Superior do Ministério Publico Estadual.

Foto: Eduardo Quadros -
http://www.photusgraph.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário