29 de jun de 2009

A farra das bolsas da Ulbra

Quase passou batido (ahahahhaha) a reportagem da jornalista Joana Colussi, do jornal do Correio do Povo sobre as escândalosas bolsas de estudo da Ulbra destinadas para políticos. Na relação, constam os nomes de filhos e sobrinhos de parlamentares gaúchos que obtiveram descontos de 30% a 100% nos valores das mensalidades. Segundo o levantamento da jornalista as bolsas deveriam ser concedidas a estudantes carentes, conforme prevê a lei envolvendo instituições filantrópicas. que têm isenções de impostos do governo Federal.

A Ulbra deveria destinar, do total de alunos, 20% em bolsas para os que comprovam carência. A auditória feita pela Instituição levantou que nomes de familiares de políticos foram beneficiados. Um dos exemplos é Danielle Fraga, filha de Francisco Fraga (PTB), ex-secretário-geral de Governo de Canoas. A estudante obteve bolsa de 100% para o curso de Fisioterapia. Fraga é referência também para a aluna Marcela Andressa Ronchetti, filha do ex-prefeito de Canoas Marcos Ronchetti (PSDB). Ela conseguiu benefício de 50% no curso de Medicina. Além delas, Fraga aparece na indicação de outros seis alunos. Na relação entre pais e filhos, consta Tamara Obregon Bacci, 22 anos, filha do deputado federal Enio Bacci (PDT).
Ela é bolsista de 50% na Faculdade de Odontologia. A filha do senador Sérgio Zambiasi (PTB), Tamara, aparece. Obteve 100% para o curso de Farmácia. Formada há dois anos, a jovem de 27 anos mora na Itália. A isenção total também foi concedida à estudante de Fisioterapia Daniela Aurora Braz Wobeto, filha do vereador da Capital Luiz Braz (PTB). O nome do deputado federal Germano Bonow (PFL) aparece na indicação da sobrinha Helena Gorostidi Bonow, com 30% de abatimento no curso de Direito. O mesmo parentesco é constatado entre o secretário estadual da Saúde, Osmar Terra (PMDB), e o aluno Claudio Augusto Diana Terra – contemplado com 50% no Direito.

Os ministérios públicos Estadual e Federal foram acionados para investigar a lista com 91 alunos da Ulbra beneficiados com bolsas, grande parte deles supostamente de familiares de políticos. O juiz da 1ª Vara Cível Federal de Canoas, Guilherme Pinho Machado, encaminhou a relação ao procurador da República em Canoas, Adriano Raldi, e ao promotor Adriano Marmitt. 'A questão diz respeito a um dos requisitos legais para obtenção da filantropia, que é a concessão de bolsa de estudos para alunos carentes, no percentual de no mínimo 20%', diz o despacho do juiz.

Um comentário:

  1. Caro Kikodmachado, indique qual o partido desses miseráveis para divulgarmos aqui em São Paulo.

    ResponderExcluir