25 de ago de 2009

Marcon exige de Yeda que apresente o assassino de Sem Terra

Na sessão plenária desta terça-feira (25), o deputado Dionilso Marcon (PT) exigiu da governadora Yeda Crusius, da Secretaria de Segurança Pública e da Brigada Militar que apresentem o assassino do trabalhador sem terra, Elton Brum da Silva. O parlamentar também quer garantias do governo estadual de que esse crime seja, de fato, o último confronto do Estado com os trabalhadores. Por conta dessa morte ocorrida na sexta-feira (21), na Fazenda Southall, em São Gabriel, a criminalização dos movimentos sociais voltará à pauta da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos. A audiência pública acontecerá às 9h30 do dia 9 de setembro, na Assembléia Legislativa.As declarações da promotora do Ministério Público de São Gabriel causaram revolta em Marcon. Lisiane Villagrande considerou “extremamente profissional” a ação da BM que resultou na execução de Elton. “Esse é o papel do Ministério Público?”, indagou. Ele também ficou indignado com a truculência da Brigada Militar que montou um forte aparato policial para dominar as pessoas c

4 comentários:

  1. O Ministério Público do Rio Grande não tem mais papel, Ô Marcon, virou o que gruda no papel.

    O higiênico é claro.

    Claudio Dode

    ResponderExcluir
  2. Este governo só tem feito é confronto com os trabalhadores. Os funcinários do Banrisul ,o Masgistério ,esses escaparam da morte ,até mesmo de susto com as bombas na frente do Palácio a mando do coronel Mendes .O aparato q a BM usou contra o MST era de guerra mesmo. E o Ministério Público q em SG parece q tem posição ? É o q ficou muito claro com as declaraçoes da Promotoria q pertou por não ter ficado calada .

    ResponderExcluir
  3. José Renato Moura25 de agosto de 2009 23:53

    Olá Kiko. Sou leitor assíduo do Tomando na Cuia. Parabéns.
    Quero te convidar a dar uma visitada no meu blog: www.joserenatomoura.blogspot.com.
    Agora, estamos envolvidoa na luta contra a privatização da água em São Luiz Gonzaga. E tá difícil.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Diz o blogueiro - sabe o Rio Grande que o assassino é um oficial e não um simples soldado. O governo ainda não sei por que razão está escondendo o nome do bandido. Quero vê-lo num júri popular pegando uma pena de trinta anos. Tá certo que cumpre somente seis anos, mas não será num quartelzinho e sim em cadeia pública. Pode ser que depois de condenado nos diga quem determinou esse assassinato que acredito não tenha sido iniciativa própria.
    (Domentário que acabo de postar no meu blog, www.praiadexangrila.com.br)

    ResponderExcluir