19 de set de 2009

Temos muito o que aprender


Tem gente por ai sentando a lenha num tal e-mail de um funcionário público Federal que é paulista e está aqui no RS a serviço. No e-mail, segundo consegui ler, ele fala de algumas coisas que gostaria de abordar (em especial a nossa carne), e sendo gaúcho tenho imunidade (ahahaha).

Aqui na terra guapa temos um sério problema de reserva de mercado de carnes que infelizmente somos reféns. Acesse o site da rede de supermercados Mundial , do Rio de Janeiro, e confira o preço do filé Mignon (R$15,80) ou do carré suino (R$4,80 , por exemplo. É cultural comer carne com osso aqui ? é !, mas fique sabendo que há promoções lá pra cima em que o filé pode chegar a R$ 12, 00 numa rede varejista, e nem vou falar de outras carnes ou de outros produtos. ( quase 40% mais baratos). Confira também os preços e compare com qualquer rede de supermercados da Capital e verão que somos literalmente assaltados, seja pela carga tributária, seja pela ganância de nossos empresários do ramo.

No caso da carne a diferença de preços pode chegar a 30 % menor, e sobre a qualidade tenho que admitir que lá se consome carnes muito boas. Em boas churrascarias é gritante a diferença de qualidade com as nossas, tirando raras exceções.

Falo isso porque aqui no Rio Grande do Sul existe uma mania de achar que somos a última bolachinha recheada do pacote,o gás da coca-cola e que não temos nada para melhorar. Perguntem para quem viaja frequentemente para Rio e São Paulo sobre a qualidade média desses serviços e tire a prova dos nove. Alguns meses atrás fui numa renomada churrascaria aqui da terrinha e comparei esse atraso. Além da péssima qualidade da carne servida (nacos de pura gordura e alguns filetes de carne dura) agregue a isso a falta de efetividade (o garçon passava com o rodizio-corujão, apenas de 1 em 1 hora), e o local mal iluminado (parecia uma caverna), também saí de lá com um cheiro insuportável de gordura do ambiente que simplesmente impregnou toda a roupa. Ao sair reclamei ao gerente do estabelecimento sobre esses ítens e ao receber minha reclamação o cidadão não deu a mínima atenção para minha indignação, além é claro de nem emitir nota fiscal.
Acesse o site da rede de churrascaria Porcão, do Rio de Janeiro, e veja a diferença.Por exemplo, lá, além de todas as carnes que tu imagina que exista, peixe, ainda servem até caviar e o preço não é tão diferente de alguma churrascaria Top daqui da terrinha, mas a qualidade sim é gritante pró-cariocas.

Outra bola nas costas e a tal "costela gaúcha", pois ocorre que em grande parte de nossas redes de supermercados o preço é um absurdo, sem falar que pagamos para descartar quase metade do peso em osso (para alegria dos cachorros). Geralmente a costela em promoção é de baixa qualidade, dura e com alto teor de gordura e pouca carne.
A origem dessa carne guapa também preocupa, pois anualmente são abatidos mais de 1 milhão de cabeças de gado de forma clandestina no RS, sem nenhum tipo de fiscalização. Quem garante que a carne que o senhor consome tem origem nobre ? Além disso, existe uma a reserva de mercado da carnes da qual não temos como escapar. Pergunte ao gerente do hipermercado se a rede compra a costela mais barata do matogrosso ou é obrigado a comprar daqui , onde o preço é bem maior. E quando os frigorificos começam a exportar carne, aí o preço vai nas alturas e temos que pagar por um produto de segunda categoria. Temos que vestir a sandalha da humildade e aprender com o que existe de melhor em todo o Brasil e deixar a empáfia de lado.
Aos vegetarianos que leram esse post, favor considerar apenas a penúltima publicação.

3 comentários:

  1. kiko, sou gaúcho e estou morando em Manaus. A carne por aqui não é parametro para comparação. É horrível, a carne e o preço! Até porque boi não dá em árvore. Mas acredito que contribuo para a sua materia com a lembrança de uma medida estúpida, tomada ainda no Governo Germano Rigotto. Em dado momento do seu Governo, Rigotto reduziu o ICMS para a exportação de "gado em pé" - vivo. Coisa de país africano - exportar bens "in natura". Claro foi comemorado pela FARSUL e teve a presença da RBS. Com direito ao registro de uma reportagem feita no porto de Rio Grande e transmitida no jornal da emissora.
    Em países desenvolvidos, prefere-se exportar a carne com maior "valor agregado". Desde a tomada desta medida "inteligente" já foram fechados alguns frigoríficos no RS.

    ResponderExcluir
  2. É verdade, eventualmente vou ao RJ e ficava (hoje não mais) com o preço das carnes, na rede do Guanabara já vi alcatra a 11,95 o Kg e aqui pagamos 18,00 no Bourbon...

    ResponderExcluir
  3. Ei você aí pilchado !
    Está sendo enganado !
    Ou outra rima engraçada.

    ResponderExcluir