15 de nov de 2009

A descoberta, Por Kayser


É triste a realidade de nossa querida Capital: uma espécie de abandono associado ao desleixo. Buracos, crateras, ruas mal cuidadas, semáforos queimados, pistas com sinalização confusa ou faltando, são pequenos exemplos que dia-a-dia se acumulam em Porto Alegre. Na condição de morador da Zonal Sul fico sempre em alerta porque de antemão já sei que qualquer chuva é motivo de alagamento devido a falta de limpeza do bueiros.
Outra dificuldade que tenho de entender é porque a prefeitura abre tantos buracos nas ruas e calçadas e os abandona ao sabor do tempo. Quando a prefa é forçada a fechá-los (ahahahahah) , o fazem de maneira que o trabalho realizado mais parece uma profunda cicatriz do que um reparo.
Nossas tampas de bueiro poderiam fazer parte de alguma obra de arte ao ar livre, pois cada uma é diferente da outra em profundidade, e fazem a alegria dos mecânicos da Capital. Sobre nossas calçadas deveríamos exigir que o atual secretário de obras (quem nem sei quem é ) viesse ao trabalho de ônibus e tivesse apenas por um dia a privação da visão para que pudesse sentir a dificuldade de acessibilidade devido a quantidade de buracos e de obstáculos nos passeios públicos.
Quem chega ao centro pelo acesso da avenida Mauá tem a sensação de que adentra num bairro abandonado. A pista de rolamento da Mauá mais parece um campo minado já detonado, tendo motoristas de ônibus Kamikaze te apertando contra o muro, além é claro, da clássica falta de zelo com a limpeza e a poluição visual da inútil sinalização guapa. Como diz um amigo: A SINALIZAÇÃO DE PORTO ALEGRE APENAS ME AVISA QUE JÁ PASSEI OU QUE JÁ ERREI O CAMINHO.
Outra situação que me deixa intrigado é a qualidade da informação prestada pelo cidadão da Capital ao visitante. Experimente pedir uma orientação de um caminho que você já conheça de antemão para três pessoas diferentes: verá que no mínimo uma delas te mandará pelo lado oposto (ahahahahha). Se realmente desejam ajudar e não sabem dar a informação, por favor digam NÃO SEI.
Antigamente tinha orgulho de Porto Alegre e de seus indicadores de qualidade de vida e de seus serviços públicos, isso acabou. Hoje, ao ler que mais uma criança foi vítima de atropelamento da Vila Chocolatão, tenho certeza, já avançamos a passos largos para voltar a mesma cidade decadente da década de 1980.

Nenhum comentário:

Postar um comentário