20 de nov de 2009

O agronegócio está extinguindo as abelhas no mundo

Não é só o clima que está mudando para pior. O chamado agronegócio que utiliza grandes extensões de terra para plantação de monoculturas, com o uso de pesticidas, associado a destruição das florestas para atender o mercado agropecuário está levando ao desaparecimento das abelhas dos continentes. Segundo os cientistas, os insetos, essenciais para a polinização, estão morrendo devido ao uso de pesticidas e o crescimento da atividade agrícola, que reduz suas fontes de alimento. A espécie pode ser completamente exterminada, o que provocaria efeitos devastadores na agricultura.
Falo isso porque descobrimos que no prédio que resido, há dentro da tubulação de esgoto uma colméia de abelhas. Entrei em contato com o especialista no assunto, o senhor João Feeburg da Casa da Abelha de Porto Alegre, que me confirmou que a pesquisa dos cientistas está correta, e alerta para a necessidade de um debate sobre o tema. Segundo Feeburg nossos bombeiros não estão preparados para atender essas ocorrências e acabam por eliminar as colméias ao invés de retirá-las com vida. O apicultor sugere que o assunto receba a atenção das autoridades de Porto Alegre e que sejam disponibilizadas áreas de entrepostos para que esses enxames sejam realocados vivos para posteriormente serem transportados em lotes maiores, reduzindo custos e salvando os enxames da morte. Segundo o especialista, cerca de 80% dos alimentos consumidos pelos seres humanos dependem da polimização das abelhas e se forem extintas a humanidade passará fome.

2 comentários:

  1. Os prejuizos para o meio ambiente são enormes com a desaparição das abelhas pois são elas, junto com varias outras especies de insetos que tambem estao desaparecendo, responsaveis pela polinização da maioria das especies vegetais inclusive de especies cultivadas. O resultado seria a desaparição de muitas destas plantas, empobrecimento de matas e campos, diminuição da produção de graos e frutas num prejuiso economico dificil de mensura. Na China produtores de frutas fazem hoje a polinização manual com o conseguinte elevação dos custos e uma diminuição na produção.
    Aqui no RS podemos ajudar, apesar das abelhas serem exoticas a nosa fauna mas temos outras especies de polinizadores tambem, plantando arvores nativas de alta floração como por exemplo pitangas, gaiabas, araçãs, jaboticabas, etc.

    ResponderExcluir
  2. Mas é onde se usam abelhas europeías: China, Oriente Médio, Europa e EUA. Pouca coisa.
    E não só abelhas, várias espécies polinizadoras.
    A solução chinesa para não perder espécies frutíferas é polinização manual, que é uma trabalheira louca e que não dá 10% do resultado da polinização natural.
    As nossas africanizadas ainda estão a salvo.
    Com os esforços da FARSUL em usar mais OGM e defensivos ainda chegaremos lá.

    ResponderExcluir