6 de jan de 2010

O nosso litoral

Que o Todo Poderoso quando estava fazendo o litoral brasileiro chegou ao Rio Grande do Sul meio cansado (ahahhaa) e resolveu traçar uma linha reta depois de Torres até o Chuí com uma régua pra facilitar, todos nós já sabemos (ahahaha). No entanto, nossos prefeitos poderiam ajudar a receber melhor o turista que visita e tenta ficar em nossas praias. Por aqui, qualquer chuvinha é motivo de alagamento das ruas e o lixo na beira-mar se acumula ao longo dos dias. Ao dar um mergulho, disputamos o espaço com sacos de picolé, copos plásticos, canudos, tampas de garrafa, tudo jogado ao mar, como se aquilo, na cabeça de quem joga fora, se dissolvesse como açucar .
Além da falta de educação do veranistas no estado mais politizado do país (ahahhaha), dificilmente se encontra um cesto de lixo na orla, e os equipamentos públicos estão sempre em péssimo estado,quebrados ou podres. Tudo é meio feito nas coxas (e não é charuto cubano) , dando a sensação de falta de respeito e consideração com quem chega na cidade. Carros de som passam o dia todo circulando pelas ruas oferecendo produtos e serviços, fazendo uma espécie de antimarkenting. A tal da orientação e sinalização no transito pouco existe, com ruas sujas e entupidas de caliça ou lixo depositado de alguma obra ou sobras de construção de algum espigão erguido recentemente.
Se não temos belas praias, pelo menos poderíamos ter ruas, praias e equipamentos públicos (praças, paradas e sinalização) melhor conservados. Quando a BR 101, que liga Santa Catarina ao RS estiver duplicada em 2010 vai ser dificil segurar o pessoal por aqui com o serviço prestado em nossas cidades litorâneas.

Um comentário:

  1. Isso que não mencionaste que o milho é cozido com água do mar, a cerveja está quente nos quiosques e o logro dos preços e pesos nos mercados.

    ResponderExcluir