28 de mar de 2010

Movimento de rádios comunitárias avança

Estive reunido ontem (7) em Seberi com lideranças do movimento de rádios comunitárias da ABRACO (Associação Brasileira de Rádios Comunitárias), e comunicadores de mais de uma dezena de rádios comunitáras da grande região de Frederico Westphalen/Palmeira das Missões.
Na pauta, o debate sobre o papel da rádiodifusão comunitária na conjuntura estadual e nacional e a importância da busca da qualificação do corpo técnico das emissoras e de uma programação de alta qualidade para o público local. A capacitação técnica regional de jovens na área comunicação (rádio, TV, Fotografia, Internet) foi um dos temas levantados no debate, assim como a participação das Universidades e do Centro Federal de Educação Tecnológica para a capacitação do setor como um todo.
Um dos pontos levantados no encontro foi a necessidade de que o movimento de rádos comunitárias construa politicamente junto ao Estado — municípios, governos Estadual e Federal, bem como instituições públicas privadas— o entendimento de que é fundamental investir parte da verba publicitária (que não é pouca) em emissoras comunitárias. Segundo os participantes a maior parte desses recursos ficam concentrados nas mãos da grande mídia. No entanto, são as pequenas emissoras comunitárias que fazem os avisos sociais, campanhas de vacinação, fomento à cultura local, é, é claro, uma boa programação musical, contando apenas com o apoio do comércio e da indústria local, sem apoio do Estado. Hoje, essas emissoras, na sua grande maioria, fazem o gosto e a preferência e da audiência de centenas de comunidades pelo interior do Rio Grande do Sul, desbancando até mesmo grande veículos de comunicação e causando o pavor nos velhos e novos coronéis das pequenas e médias cidades do interior.
A troca e o compartilhamento de informações locais, a padronização da linguagem, o uso das redes sociais virtuais, bem como a criação de meios (blogs, portais) para a divulgação de informações regionais, foram alguns dos temas discutidos no encontro. Outro assunto importante discutido foi a necessidade de representação do movimento de rádios e TVs comunitárias no Congresso Nacional e na Assembleia Legistiva. Segundo os participantes, é importante fazer frente aos grandes grupos de mídia que disputarão com seus quadros (jornalisticos-politicos) inúmeras vagas no senado e na Câmara Federal como forma de garantir representação nas duas Casas legislativas em 2011.
Participaram do encontro representantes de Alpestre, Ametista, Frederico Westphalen, Erval Seco, Caiçara, Jaboticaba, Cerro Grande, Novo Barreiro, Pinhal, Vicente Dutra, Três Palmeiras, São José das Missões e Seberi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário