6 de set de 2010

Yedagate acessava até fotos de crianças, filhos de parlamentares e de membros da justiça

O promotor Amilcar Macedo afirmou em entrevista na rádio gaúcha hoje (06) pela manhã que o araponga e segurança de Yeda, espionava, junto com outros militares, políticos, jornalistas, delegados, policiais e até integrantes das forças armadas. O mais grave é que tudo era feito dentro da Casa Militar do Palácio Piratini e pasmem, os MALDITOS acessaram fotos de crianças,  filhos de políticos e de mebros da justiça.  A imprensa livre vai deixar novamente essa turma de lombo liso ??? e ainda de lambuja dar capa de jornal para Yeda no PIG guasca.

Veja a Lista:

Políticos:  Sérgio Zambiasi, Tarso Genro, Lara, Stela Farias, Flávio Koutzii;

Advogados:  Adão Paiane (ex-Ouvidor da SSP), Tania Regina Slva Reckziegel, Vanessa Guazzelli Braga, Telma Cecília Torrano;
Monitorados: Ricardo Lied, Walna Vilarins e Sandra Terra;

Jornalistas: Políbio Braga, Marco Weissheimer, Rafael Colling e Maria Lúcia Streck;

Militares: Chefes dos Serviço de Inteligência do CPM e do V COMAR.

É o Yedagate
 

4 comentários:

  1. A Yeda dançou, pelo menos é o que está nas fotos dos jornais de hoje, em capas e colunas políticas.

    ResponderExcluir
  2. Esqueceu de dizer que até a Yeda teve seus dados acessados.

    ResponderExcluir
  3. Há motivos suficientes para a intervenção no Estado do Rio Grande do Sul, como também em São Paulo.

    ResponderExcluir
  4. A Yeda teve os dados acessados para saber se estava sendo investigada. ela mesmo pode ter ordenado o fato ao seu segurança, não é.
    O próprio sargento se monitorava e ficou sabendo que era investigado. É um redemoinho que vai apertando as figuras até elas ficarem no centro dos acontecimentos.Gostaria de saber se algum áudio foi captado, por exemplo, da Dilma falando com o Paim ou com o Tarso e até mesmo com o Zambiazi. Como é que fica? É crime eleitoral? No caso da filha do Serra o próprio admitiu tratar-se de um crime político e não eleitoral.

    ResponderExcluir