13 de jun de 2014

A rebeldia da geração Mc lanche Feliz



Quem já não cruzou ou entrou numa lancheria do Mc Donalds e viu pais compra os Mc Lanche feliz para seus filhos com direito aos binequinhos ? Pois bem ! os moleques cresceram. Basta assistir o vídeo acima onde se trava um diálogo entre um pai e seu filho Black Bloc com idade não superior a 16 anos.O filho branco, bem cuidado, bem nutrido diz estar lutando por saúde e educação e seu pai diz: vai reivindicar quando tu tiver um emprego, eu pago tua educação.Pelo que noto, grande parte são jovens da classe média, na maioria com educação em escola particular, casa, comida, roupa lavada e uma boa banda larga para jogar FIFA 2014 no Playstation on line.

Sua justas utopias de mudar o mundo estão sendo canalizadas, manipulados e cooptadas de forma inteligente pelo o que há de mais escroto, conservador, tanto da extrema esquerda quanto da direita, com o objetivo de gerar o caos social. Esquecem esses jovens, ou talvez não se deem conta, que serão eles as primeiras vítimas quando a direita tomar o poder. Ontem (12), na manifestação em Porto Alegre, assisti populares parando carros da Policia Militar rogando que a PM atirasse para matar e passasse com a cavalaria por cima dos black Blocs.

São jovens que não viveram as agruras dos jovens das décadas perdidas dos anos de 1980 e 1990 assim como seus país viveram  e não têm a mínima noção dos avanços sociais e econômicos da última década, conquistas essas que garantiram os seus pais e de outros milhões de brasileiros o direito de poder trabalhar e dar uma vida digna às suas famílias. Há ! mas o Brasil ainda tem muito problemas ! Sim ! tem, mas qual o país que não tem. Avançar é preciso.

Sobre a Copa do Mundo no Brasil só tenho a dizer que no mundo só existem três eventos que chamam a a atenção planetária para uma única nação: (Guerras, Olimpíadas e Copa). Temos as duas últimas e espero nunca que os extremos não nos leve para a primeira opção.  


Um comentário:

  1. É a geração Jackass, que lembra o seriado de façanhas e cretinices dos adolescentes americanos.
    Aliás a coisa toda está cheia de referências à cultura anglo-saxão, desde a máscara de anonimous, o auxílio de um hacker do FBI chamado LulzSec, até o treinamento ocorrido em São Paulo no Ibirapuera.
    Se orgulham de desafiar a PM porque aprenderam a aguentar as armas não letais.
    Se jogam contra as fileiras de PM para exibirem orgulhosos as marcas de bala de borracha para os fotógrafos do PIG nacional e internacional.
    Perguntados porque fazem aquilo vão responder "por causa da saúde que não é padrão FIFA", vem a resposta robotizada.
    Indagados se acham bom suspender o desconto de IR para planos de saúde da classe média e como fariam para convencê-la a aceitar essa medida, vê-se que são uma garotada que não têm nenhum acúmulo de debate, nem envolvimento ou opinião formada acerca do motivo alegado do protesto. Que afinal não existe.
    Carecem de legitimidade. Abraçaram causas que desconhecem, que apadrinharam por generosidade e vaidade.
    Foram guiados, conduzidos para essa demonstração vazia de rebeldia e virilidade.
    São motivações que algum dirigente partidário inescrupuloso soube aproveitar, em benefício da direita mais ligada ao capital financeiro e mais internacionalizada.

    ResponderExcluir